Dormir pouco pode aumentar vontade de comer guloseimas? | Hospital Proncor

Dormir pouco faz nosso cérebro escolher alimentos mais calóricos e recompensadores, segundo pesquisa realizada pela Universidade Northwestern Medicine, em Chicago, nos Estados Unidos, e publicada na revista científica eLife. A privação de sono faz com que a preferência alimentar favoreça comidas doces e gordurosas.


Não se sabe exatamente como esse processo acontece. A hipótese é que a falta de sono altere o sistema endocanabinóide, uma complexa rede de moléculas no sistema nervoso que controla processos biológicos como o apetite. Em ratos, esse sistema influencia a área do cérebro que processa odores, conectando o olfato à escolha de alimentos.


O estudo monitorou 25 pessoas saudáveis. Primeiramnte, os participantes tiveram uma semana de sono estável (de 7 a 9 horas). Depois, eles foram aleatoriamente divididos em dois grupos. Um dormiu apenas 4 horas e o outro, 8. O processo se repetiu durante 4 semanas para que os participantes tivessem um período de recuperação de sono e para que o resultado não tivesse interferência do ciclo menstrual das mulheres.

Foram realizados testes de cortisol para verificar o estresse, porém os resultados não apresentaram mudanças significativas, indicando que uma noite de privação de sono não aumenta o nível de ansiedade e estresse. Os participantes passavam por uma ressonância magnética para verificar a sonolência e a atividade cerebral. Depois, um bufê era disposto para que eles escolhessem o que quisessem.


A noite curta